quarta-feira, 13 de maio de 2009

Nem Tão Simples Assim



Uns sonham riqueza

Banquetes sobre a mesa

Doce pranto de soberba

Átrio alvo e confuso


Eu, tímido, perplexo

Sonho campos e sendas

Riachos e florestas

A alegria esvoaçante dos pássaros


Muitos sonham sorte

Amarga ironia:

Vida ou Morte?

- enigma universal, etéreo


Eu, carne, fome,

Quero gosto, vento,

Gozo, tato,

Movimento


Outros, sonham enredos antropomórficos

Epopéias ditas em clarins

Fino trato de Camélias

Grandes obras em nanquim


Eu, alma, essência por fim

Hipótese, espectro

Utópico, anárquico

Sonho descobrir a mim


Eduardo C. Mendonça

2 comentários:

Joice Reis disse...

Lindo Du!!! Muito rico!!!E consciente!!! Adorei!!! Parabéns!

ArTeclando disse...

Amei esse poema Du! Lindo, lindo! Beijoo!